{Diário de Viagem} Dicas gerais: que você precisa saber antes de ir para Santiago

24 de agosto de 2016

 Créditos da foto: @leosvalle
Voltei!!! No meio desse tempo longe do blog eu tirei mini férias com o marido e fomos conhecer a cidade de Santiago, no Chile.

Organizar uma viagem é pra mim das coisas mais divertidas de se fazer e eu amo ler diários de viagem pela internet, especialmente quando me deparo com dicas reais (detesto roteirinho no estilo pacote turístico de excursão).

Viajamos pro Chile depois de eu ter lido muito sobre o local e os passeios, mas foi um dos destinos mais complicados para encontrar informações atuais e dicas que fugissem do lugar comum.

Por isso resolvi contar pra vocês como foi a nossa viagem, nosso roteiro, quanto custa passear por lá e trazer todas as dicas que coletei por lá. Está pensando (ou sonhando) com um passeio por Santiago? Então vem comigo que eu tenho muito pra te contar.

Nesse primeiro post trago um pouquinho das dicas gerais sobre a cidade de Santiago, sobre a organização da viagem e alguns pontos que você precisa saber antes de ir ao "sul do mundo".

A viagem

Nosso voo partiu de Florianópolis, fizemos uma escala rápida em São Paulo (Guarulhos) e seguimos para Santiago. Na volta, fizemos o caminho inverso, mesma escala. Voamos com a Latam e não tivemos problema com atraso de voo, tudo correu muito bem.
Ah, Guarulhos é o ponto principal de partida dos voos para Santiago e esse trecho leva em cerca de 5 horas.

O transporte

O traslado entre aeroporto e hotel fizemos com uma empresa de transfer que nos cobrou 6.900 pesos por pessoa em van coletiva, mas a viagem é super rápida, em cerca de meia hora estávamos no hotel.
Já na cidade utilizamos metrô e Uber apenas. O metrô tem tarifas diferentes conforme o horário (fora do horário do rush custava 660 pesos o passe)  e você ainda precisa adquirir a tarjeta Bip (cartão do metrô) por 1.500 pesos para poder utilizar o metrô.
O Uber funciona super bem por lá, apesar de ter a mesma resistência dos taxistas que acontece no Brasil. O valor é parecido com o daqui e, é claro, mais barato que táxi.
O único passeio de excursão que fizemos foi o transfer até as estações de esqui, que adquirimos de um dos muitos vendedores de excursões que nos abordaram, e que estava com preço ótimo em comparação aos demais (pagamos $15.000,00 por pessoa, enquanto a média era $25.000,00).

O hotel

Hotéis em Santiago são caros, essa foi minha primeira dificuldade na hora de organizar a viagem, afinal não acho válido gastar muito quando o roteiro da viagem tem dias cheios de passeios e não há tempo para aproveitar o hotel. Minha prioridade em passeios assim é escolher uma boa localização e que o hotel tenha boas avaliações no quesito limpeza.
Optei por um Apart Hotel super bem localizado e que nos possibilitou andar a pé boa parte da viagem. O único porém é para quem não gosta de hotel sem café da manhã, como é o caso (na verdade até tem um café servido no quarto na noite anterior e todo industrializado, por isso fiz a reserva sem café da manhã).

O dinheiro

Levamos reais e trocamos na Rua Agustinas, localizada no centro da cidade e onde se concentram várias casas de câmbio (dá pra cotar antes de comprar). Uma dica importante é que em horário comercial a cotação é sempre melhor.
Trocar cerca de R$300 por dia de viagem para duas pessoas nos foi suficiente, pois pagamos a maior parte dos restaurantes com cartão de crédito internacional. No mais, café da manhã, comprinhas, passeios, metrô e lanches rápidos foram pagos em espécie e essa quantia foi suficiente.

A comida

Comer em Santiago é caro, já tenha ciência disso antes de sair do Brasil e entenda que não dá pra ficar comparando com os preços daqui. Se você souber equilibrar consegue fazer ótimas refeições sem estourar o orçamento da viagem.
Os frutos do mar são super tradicionais por lá, mas mesmo quem não gosta de mariscos, come bem em Santiago.

O clima

Aqui nós precisamos nos dividir: quem mora no Sul e quem mora no restante do país sentirá o clima de Santiago de um jeito diferente.
Para quem mora no sul, nosso inverno não deixa a desejar para o inverno de Santiago, então se prepare para os nossos dias de inverno intenso e está tudo certo.
Se você não é do sul e não tem essa intimidade com o frio, pense em investir nas roupas térmicas (as da Decathlon tem um valor legal) e não esqueça de meias térmicas, luvas, cachecol e gorro.
É claro que nós também estávamos usando tudo isso, mas já sabíamos o que esperar na fazer as malas, conhecemos um casal de cearenses que acabaram tendo que comprar roupas por lá para encarar a temperatura.

O roteiro

Saímos de Florianópolis às 19h de terça-feira e chegamos em Santiago às 04h de quarta-feira, já o retorno foi às 02h de domingo, o que nos rendeu 4 dias completos por lá e foi o suficiente para aproveitar muito bem a cidade.
Como eu já tinha um roteiro pré-planejado, foi super tranquilo de aproveitar os dias ao máximo, até porque não vejo como sendo necessário mais tempo por lá.
Agora, se você tiver mais um dia de viagem, conheça Vinã del Mar e Valparaíso, se tiver mais dois dias livres na agenda, além do litoral, cogite a possibilidade de pernoitar em El Colorado ou Valle Nevado para aproveitar melhor as estações de esqui.

A bagagem

A minha dica principal é sobre a bagagem! Quando você adquire as passagens em classe econômica, mesmo sento uma viagem internacional, as franquias de bagagem são iguais aos voos nacionais (23kg  de bagagem despachada e 5kg de bagagem de mão).
Mas aqui tem um truque bem importante em uma viagem para o Chile ou Argentina: assim como nos voos nacionais, você pode trazer cinco vinhos como bagagem de mão!!
Essa informação não é aparece nas regras que você lê ao comprar a passagem, nem nos de confirmação da companhia aérea, por isso pouca gente sabe e acaba exagerando no peso da mala ou deixando de comprar para não correr riscos.
Eu li alguns comentários de viajantes sobre isso, mas nenhuma certeza. Pesquisei muito, mas nada muito certo. Chegando no aeroporto a primeira coisa que fiz foi perguntar ao responsável pelo despacho na área da Latam e confirmei que sim, cada passageiro pode levar até 05 garrafas de vinho como bagagem de mão!
Ah, levamos conosco à bordo as taças que ganhamos no tour em Concha y Toro e também foi super tranquilo.
Saber que você pode trazer consigo os vinhos mais especiais ou mesmo apenas diminuir o peso da mala é uma ótima dica, vai por mim!

Para organizar sua viagem, esses são os principais pontos que você precisa saber, nos próximos posts eu mostro nosso roteiro diário por lá, conto os preços das atrações e dou dicas de restaurantes (e conto quanto custa comer no Chile).

Tem alguma dúvida ou quer alguma dica especifica para sua viagem? É só escrever aqui nos comentários!

Nenhum comentário:

Postar um comentário