Guia Buenos Aires: Por onde começar?

2 de fevereiro de 2016

Eu amo planejar cada detalhe das minhas viagens, a expectativa cresce durante a organização e o passeio é muito mais bem aproveitado sabendo onde e como ir, além de ser mais interessante visitar os lugares sabendo sua história.
Então, antes de cada viagem eu procuro relatos, leio blogs e sites especializados, vejo no Trip Advisor os comentários de hotéis, restaurantes e atrações que quero visitar...
E assim como eu amo diários de viagem, acredito que tem muita gente que planeja suas viagens assim.
Por isso, resolvi trazer pra cá a minha experiência e todas as dicas que colecionei planejando minhas viagens.

E hoje eu começo um guia prático sobre Buenos Aires, um lugar que eu amei visitar (estive lá em 2011 e 2013) e tenho muita vontade de retornar.

Tem muita coisa pra contar nesse post. Vamos lá?


O primeiro passo é decidir quando ir

CLIMA
Você deve considerar o clima da cidade, que bastante semelhante ao sul do Brasil - estações do ano definidas, com inverno bem frio e verão bem quente.
Considere também que o período de invernão é alta temporada, o que encarece os serviços e deixa a cidade lotada!
Transcrevo aqui as considerações da Mariana, dona do blog My Villa Crespo, um dos mais completos e detalhados sobre o assunto que conheci:
Buenos Aires tem as quatro estações do ano bem definidas: calor que nem o brasileiro no verão (temperatura rondando os 30 graus), árvores com folhas secas no outono e friooo no inverno (é um frio suportável, mas tem que vir preparado), muitas flores e entardeceres mais longos na primavera (dias lindos!).Vale lembrar que nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro – verão – a temperatura pode superar os 30° durante o dia, chegando até a 37° em alguns dias de extremo calor., com alta umidade. Em abril/maio (outono) e setembro/outubro (primavera), os dias são mais amenos, mas pode esfriar bruscamente ao anoitecer. Durante os meses de junho, julho e agosto – inverno – faz frio de verdade, podendo chegar a 1° ou 2° C durante a madrugada. Mas também é uma época muito gostosa para visitar a cidade. Aliás, cada estação tem seu encanto por aqui.
Minha experiência pessoal
Viajei em abril/2012, fui esperando o mesmo calorzinho que fazia aqui em Santa Catarina e passei frio (vento gelado e intenso) no primeiro dia, pois estava de shorts jeans, regata e rasteirinha. Já para sair à noite precisei comprar uma meia-calça na Calle Florida. Sorte que sempre carrego um casaquinho, me salvou nos outros dias.
Já na segunda viagem, em janeiro/2013, pegamos dias mais quentes e com pouco vento. Mesmo à noite não chegamos a sentir frio, mas ficava fresquinho para usar um cardigã ou blusinhas finas de manga longa.
Aliás, aqui uma dica pessoal: leve sempre uma peça correspondente à estação oposta (camiseta curta no inverno e casaquinho no verão).

FERIADOS
Cheque o calendário argentino para evitar os feriados nacionais, isso pode afetar seus passeios e até mesmo sua estadia no hotel.

QUANTO TEMPO FICAR
Para aproveitar bem a cidade, recomendo pelo menos 04 dias inteiros por lá.
Mas Buenos Aires é um destino bem flexível, é possível conhecer o melhor da cidade em 03 dias, mas também tem muitas atrações para permanecer por mais de uma semana.
Vamos falar de roteiro e passeios num próximo post, mas tente programar sua viagem para 04 ou 05 dias.

Escolhida a época e o tempo no destino, é hora de pesquisar passagens aéreas e escolher o hotel.


PASSAGEM AÉREA
Se você tem datas flexíveis para viajar, pesquise muito e procure promoções. Sempre aparece alguma tarifa promocional para Buenos Aires.
Minha sugestão para a tarefa de comprar a passagem aérea é procurar nos sites que fazem uma varredura nas companhias e encontram a melhor tarifa disponível (Expedia e Decolar, por exemplo).

O voo até a capital porteña costuma ser rápido, dependendo - é claro - de onde você irá partir.

Você tem duas opções de chegada: Aeroparque ou Ezeiza:

O Aeroparque fica no centro de Buenos, mas é um aeroporto pequeno, mais usado para voos domésticos e como meio de baratear passagens internacionais para a cidade. Já Ezeiza fica cerca de 30 minutos da cidade e tem um ótimo Duty Free (com destaque para o DF da saída).
Minha escolha as duas vezes foi Ezeiza (pelos motivo óbvios: comprinhas! - bons tempos de dólar ok).

Com o traslado já contratado aqui no Brasil, a chegada é tranquila, sem correria para orçar táxis e sem risco de superfaturamento.
Além de que contratar o transfer com uma agencia no Brasil tem o bônus de que o guia que te leva até a cidade da dicas e noções gerais que são super valiosas. Super recomendo sair do Brasil com o traslado da chegada contratado.

Dica: procure pegar um voo que chegue ainda durante o dia pra conseguir trocar reais por pesos no aeroporto (além de ter mais tempo na cidade, é claro)!!
Em minha segunda viagem o Banco de La Nación estava fechado quando chegamos (21h). Nossa sorte foi conseguir fazer cambio paralelo (até então mais vantajoso, não sei como ficará com essa mudança na política econômica do país), com a guia que nos esperava no aeroporto.

HOTEL
Minha fonte de pesquisas para hotéis é sempre (mesmo!) o TripAdvisor. Começo por ali e depois de definidas algumas boas opções, vou pesquisar preços no Booking e no Expedia.

Onde ficar?
Tem gente que gosta do centro, tem quem indique os bairros mais charmosos (Recoleta e Palermo). Eu acho que o centro é a melhor escolha para a primeira vez na maioria das cidades.

Em minhas duas viagens fiquei no centro, sendo que recomendo muito o hotel em que me hospedei na segunda viagem, o TRYP Buenos Aires, o preço é bom, o atendimento é impecável, localização, conforto e limpeza excelentes.

Já foi para Buenos Aires? Conta aqui nos comentários como foi a sua experiência! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário